home 
  rádio 
  equipe 
  programação 
  promoções 
  notícias 
  agenda de shows 
  casas de shows 
  galeria de fotos 
  rádio on-line 
  painel eletrônico 
  musica ambiente 
  cadastre-se 
  fale conosco 
   

 
Delator envolve Temer em compra de silêncio de Cunha
 

A divulgação de que o empresário Joesley Batista, um dos donos do grupo J&F, gravou conversa com o presidente Michel Temer (PMDB) lançou o governo em sua maior crise, paralisou a discussão sobre as reformas e gerou questionamentos sobre a capacidade de sobrevivência do Executivo.

No Congresso e em manifestações de rua, houve pedidos de saída do peemedebista e eleições diretas.

A informação consta da delação de Batista, publicada pelo jornal "O Globo" às 19h30 e confirmada depois pela reportagem.

O empresário diz que gravou conversa com Temer em que o presidente avaliza operação para comprar o silêncio do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) com uma mesada.

Além disso, um de seus assessores mais próximos, o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), teria sido filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil enviado por Joesley.

Em nota, Temer confirmou um encontro com o empresário no início de março, mas negou que tenha participado de movimento para impedir a delação de Cunha.

Resposta

O presidente Michel Temer (PMDB) afirmou, em nota divulgada ontem pelo Palácio do Planalto, que "jamais solicitou pagamentos para obter o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha" e negou ter participado ou autorizado "qualquer movimento com o objetivo de evitar delação ou colaboração com a Justiça pelo ex-parlamentar".

O comunicado foi divulgado horas após a publicação de reportagem do jornal "O Globo" segundo a qual o dono da JBS, Joesley Batista, afirmou à PGR (Procuradoria-Geral da República) que o presidente deu aval à compra do silêncio de Cunha e do operador Lúcio Funaro, ambos presos na Operação Lava Jato.

Na nota, Temer confirmou ter se encontrado com o empresário Joesley Batista no começo de março, no Palácio do Jaburu, sua residência oficial, em Brasília, mas disse que "não houve no diálogo nada que comprometesse" sua conduta.

Fonte: Agora S. Paulo (com Folha de S. Paulo)
 
   
voltar
Wesley Safadão
Ar condicionado no 15
Acácio
Foi amor
Simone & Simaria
Regime fechado
Joelma
Chora não coração
Marília Mendonça
De quem é a clpa
Mano Walter
Meu cavalo é show
Tayrone
Vai ter troco
Malla 100 Alça
Vai se arrepender
Léo Magalhães
Ai é quando dói
Junior Viana
Laranjinha
Thiago Jhonathan
Forró de pegada
Renner Bahia
Chamou chamou
Sacode
Você anda falando
Lagosta Bronzeada
Frio da solidão
Pablo
Desapeguei
Forró Boys
Coladinho
Washington Brasileiro
Manda um nudê
Moleca 100 Vergonha
Espelho meu
Bonde do Brasil
Você não manda em mim
Soró Silva
Gadinho novo
radio imprensa fm - 102,5 mhz   fone:11 3252 6046    São Paulo - Brasil
2006 - Todos os direitos reservádos